Plataforma para Estudos e Pesquisas sobre Equidade e Sustentabilidade Urbana e seus Efeitos na Saúde

A “Plataforma Estudos de Equidade e Sustentabilidade Urbana e seus efeitos sobre a Saúde” possibilita estudos e pesquisas centradas em questões relacionadas à equidade e a sustentabilidade de áreas urbanas e seus efeitos na saúde. Baseia-se na compreensão das interações entre os indivíduos, a natureza, os espaços construídos e as instituições. Exige que a investigação científica neste campo adote abordagens multidisciplinares e pluralísticas capazes de dar conta da complexidade do objeto para produzir evidências sólidas sobre a saúde das populações. Atualmente, congrega estudos locais de dois projetos de cunho global: “SHUE - Sustainability Health and Urban Environment” e “ What makes cities healthy, equitable and environmentally sustainable? Lessons from Latin America”.

Contextualização

A urbanização intensa tem sido uma das características do processo de desenvolvimento humano nas últimas décadas. No Brasil e no resto da América Latina mais de 85% e 80%, de suas respectivas populações, residem em áreas urbanas, Os espaços urbanos são considerados polos de atração de oportunidades, devido aos benefícios promovidos pelas aglomerações de indivíduos e de meios necessários para a melhoria do bem estar e melhoria da qualidade de vida dos indivíduos e populações. No entanto, estes espaços concentrados também geram diversos velhos e novos problemas econômicos, sociais e ambientais, induzidos principalmente por um elemento comum – a desigualdade. A qual se expressa em diversas formas e que leva a que as oportunidades e o acesso aos avanços conseguidos sejam desigualmente distribuídos. Além disso, a falta de planejamento leva à estruturação de cidades ineficientes quanto ao uso de recursos produtivos, naturais e outros. Nesse sentido torna-se fundamental o desenvolvimento de ações e políticas, fundadas em evidências de pesquisas científicas, que tornem as cidades em locais mais igualitárias e sustentáveis. Os rebatimentos da melhor distribuição dos benefícios das aglomerações urbanas, bem como do uso racional de recursos, tem benefícios diretos e indiretos na saúde de seus moradores e podem ser mensurados.

As cidades se constituem em estruturas complexas, onde os seres humanos moldam suas rotinas e suas relações econômicas e sociais. A compreensão das interações entre os indivíduos, a natureza, os espaços construídos, as instituições e os demais atores envolvidos exige que a investigação científica neste campo adote abordagens multidisciplinares e pluralísticas, capazes de darem conta de objeto de tamanha complexidade, e adequada para produzir evidências solidas sobre as suas causas e os seus efeitos sobre a saúde das populações. Estes são os princípios gerais que norteiam a Plataforma para Estudos e Pesquisas sobre Equidade e Sustentabilidade Urbana e seus Efeitos na Saúde, do Cidacs