Cidacs sedia encontro do Projeto Salurbal

Publicado por CIDACS em 26/10/2017 às 11:27

Foto: Edson Perotoni

Nos dias 27 e 28 de outubro, o Centro de Integração de Dados e Conhecimentos para Saúde (Cidacs/ IGM/ Fiocruz Bahia) sediará o encontro dos pesquisadores brasileiros (Hub-Brasil) do projeto “Making cities healthier, more equitable and environmentally sustainable: lessons from Latin America – Projeto SALURBAL”.

 A iniciativa reunirá todas as instituições brasileiras envolvidas no projeto – Fiocruz, Universidade Federal de Minas Gerais e Universidade de São Paulo. Também participarão do evento representantes do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Ministério da Saúde e da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa. A programação contempla uma série de discussões com foco no alinhamento do estudo.

Entenda o Projeto

 O Salurbal é desenvolvido por um grupo multidisciplinar de pesquisadores oriundos de onze instituições da América Latina (incluindo o Cidacs/Fiocruz) e três dos Estados Unidos, sob a liderança da pesquisadora argentina radicada nos Estados Unidos Ana Diez Roux.  Integra a Rede de Saúde Urbana para América Latina e Caribe, capitaneada pela Escola de Saúde Pública da Universidade de Drexel (Filadélfia, Estados Unidos), e foi um dos contemplados na iniciativa “Nosso Planeta, Nossa Saúde” (Our Planet, Our Health), da instituição britânica Wellcome Trust.  

O projeto buscará entender como a estrutura e a organização urbana, as formas de governo e as características ambientais das cidades afetam o nível de saúde da população e as desigualdades de saúde dentro e entre as cidades latino-americanas.

Em Salvador, os estudos relacionados a este projeto fazem parte da “Plataforma para Estudos e Pesquisas sobre Equidade e Sustentabilidade Urbana e seus Efeitos na Saúde” do Cidacs. Com estudos e pesquisas voltados a questões relacionadas à equidade e a sustentabilidade de áreas urbanas e seus efeitos na saúde, a plataforma parte do princípio de que as cidades se constituem em estruturas complexas. Deste modo, a compreensão das interações entre os indivíduos, a natureza, os espaços construídos, as instituições e demais atores exige que a investigação científica adote abordagens multidisciplinares e pluralísticas, adequadas para produzir evidências sólidas sobre as causas e os efeitos sobre a saúde das populações.

Acesse aqui a programação do encontro